segunda-feira, 9 de maio de 2011

A POESIA TEM TUDO A VER!!!

TEM TUDO A VER - Elias José
A poesia
tem tudo a ver
com tua dor e alegrias,
com as cores, as formas, os cheiros,
os sabores e a música
do mundo.

A poesia
tem tudo a ver
com o sorriso da criança,
o diálogo dos namorados,
as lágrimas diante da morte,
os olhos pedindo pão.

A poesia
tem tudo a ver
com a plumagem, o voo e o canto,
a veloz acrobacia dos peixes,
as cores todas do arcoíris,
o ritmo dos rios e cachoeiras,
o brilho da lua, do sol e das estrelas,
a explosão em verde, em flores e frutos.

A poesia
- é só abrir os olhos e ver -
tem tudo a ver com tudo.

Vamos refletir, a partir da poesia, qual o lugar que ela ocupa na vida de nossas crianças e como encantá-las em sala de aula?
A professora Marisa Lajolo no Prefácio do livro “Palavras e encantamento” diz:
Um poema é um jogo com a linguagem. Compõe-se de palavras: palavras soltas, palavras empilhadas, palavras em fila, palavras desenhadas, palavras em ritmo diferente da fala do dia-a-dia. Além de diferentes pela sonoridade, e pela disposição da página, os poemas também apresentam uma maneira original de ver o mundo, de dizer as coisas. A poesia nasce de um olhar especial que o poeta divide com seus leitores através do poema. (...) Poesia não tem hoje nem ontem. Poesia é sempre. Poesia brinca com a linguagem cotidiana, dando uma vontade danada de ser poeta também, de brincar com as palavras, de criar mundos e seres fantásticos, ou de ver os seres e os mundos fantásticos que vivem em nós mesmos, em nossa vide e a nosso lado.
Por que temos tanta resistência em levar para a sala de aula as poesias?
As poesias tem conteúdos riquíssimos, desprendidos de uma necessidade de atribuir um sentido moralizante. Por isso mesmo são gostosas de ler, de sentir. Parece que muitas conseguem alcançar algo de dentro do sujeito, outras são divertidas. Outras, com diversão, dizem muito. Tem até o Poeminha do contra, de Mário Quintana “Todos estes que aí estão atravancando meu caminho, eles passarão. Eu passarinho!”.
Talvez a escola esteja muito mais preocupada em adaptar sujeitos a algo esperado, e a partir disso tende à voltar o trabalho sobre conteúdos moralizantes, de boas maneiras, religiosos, focados nas famosas virtudes. Os poemas não seguem esse padrão. Tratam de brincar com palavras para dizer algo sobre a alma humana de forma mais simbólica, com sentidos abertos, dando espaço para o leitor completar suas lacunas, abre espaço para a criatividade e o desenvolvimento pessoal. “A chave é sua, que tem esse livro nas mãos, e nele cabe você, cabem seus amigos, seus colegas, sua família”, diz Marisa Lajolo.
A poesia é a forma pela qual podemos expressar nossas ideias, sentimentos e emoções, através da arte da palavra. O mundo da poesia é muito rico e encantador e o professor ou mediador se torna o principal vínculo entre a criança e este tipo de texto. Por isso, cabe a eles o interesse em assumir esse desafio na prática pedagógica. Brincar com as palavras, usar sequência didática, poesia cantada, representada, declamada, encenada, tudo isso faz com que o aluno se aproxime mais dessa literatura e tome gosto pela arte da poesia, além de que, desta forma, o professor estará ludibriando o ambiente de ensino.
Qualquer pessoa pode produzir poemas, é só deixar o coração superar a razão, é só deixar se envolver pela magia, pelo som, pelo ritmo, pelo encanto das palavras.
Trabalhar com poesia em sala de aula ou na escola proporciona aos alunos um incentivo ao desenvolvimento das habilidades de percepção sensorial da criança, do senso estético e de suas competências leitoras e simbólicas, colaborando para a aquisição do pleno desenvolvimento da capacidade linguística da criança, além de desenvolver nela a sensibilidade para compreender o mundo e a si própria, bem como, a capacidade para interpretar e expressar a vida pela palavra.
Atualmente sabemos que a poesia está ausente da sala de aula e da família. Muitas vezes, o único espaço é para decorar versos na tentativa de estimular bons declamadores. São poucas as instituições que estimulam um horário especial para a poesia em sala de aula. A escola deve oportunizar o conhecimento do grande universo da leitura.
A poesia é significativa para a reflexão e para as descobertas individuais do conhecimento do eu. É considerada um meio para se ter uma visão das coisas de forma mágica, preservando o lúdico, despertando a sensibilidade poética dos alunos.
Os poemas devem fazer parte da nossa vida e da vida das crianças. Esta aproximação e encantamento deve ser proporcionada pelos educadores-mediadores em momentos e com poesias que forem consideradas significativas, despertando assim o prazer pela leitura e pela literatura.

Bibliografia consultada:
Palavras de encantamento: antologia de poetas brasileiros. Coordenação editorial Maristela Petrili de Almeida Leite, Pascoal Soto. São Paulo: Moderna, 2001.

2 comentários: